Click Here


Clicker Ici

 
.
.
.
.
"Os problemas que nós criamos não podem ser solucionados
no mesmo nível intelectual em que eles foram criados."

Albert Einstein

O QUE É CULTURA?
Cultura consiste nas maneiras socialmente aprendidas de se viver em grupos humanos. Envolve todos os aspectos da vida social, incluindo tanto aprendizagem quanto comportamento. É um todo complexo, que inclui linguagem, conhecimento, crença, princípios morais, lei, estética (incluindo arte, arquitetura, comida e vestuário) e costumes.

Como acontece com um peixe na água, em situações comuns podemos falhar ao notar ou darmo-nos conta de seus efeitos condicionantes em nós porque nossa cultura é parte do meio no qual existimos. Os valores mantidos com cuidado e o sentido do comportamento daqueles que constituem uma nação, um grupo lingüístico ou qualquer organização coletiva são, nas palavras/como percebeu do/o antropólogo americano Eduard Hall, “de acordo com um código sofisticado e secreto que não está escrito em nenhum lugar, que ninguém sabe de sua existência, mas que é entendido por todos.”


O DILEMA
Freqüentemente, a existência da cultura é notada em circunstâncias nas quais o observador é ofendido, fica enojado ou, simplesmente, fica confuso diante do comportamento de outra pessoa. Nota-se que há um choque de culturas quando um relacionamento humano está indo contra a corrente, quando alguém enfrenta uma experiência inédita, quando alguma coisa parece estranha e chama atenção, quando há peças sobrando, porque não se encaixam na estrutura que estamos habituados a usar.

Compreensão cross-cultural envolve, necessariamente, descobrir quem você pensa que você é, o que você pensa que você está fazendo e com que finalidade você pensa que está fazendo isso; e ao mesmo tempo quem você pensa que eles são, o que eles estão fazendo e porque razão você pensa que eles estão fazendo o que estão fazendo. Se fosse só isto, já seria suficientemente complicado. Mas está também envolvido quem eles pensam que eles são, o que eles pensam que eles estão fazendo e com que finalidade eles pensam que eles estão fazendo isso; e finalmente, quem eles pensam que você é, o que você está fazendo e por que razão eles pensam que você está fazendo o que você está fazendo.


CONFRONTANDO O DILEMA
Pode-se notar que, de maneira singular, cultura consiste numa estrutura de valores e entendimentos que, ao serem compartilhados, dão sentido a palavras, a ações, a posturas, a gestos, a tons de voz, a expressões faciais, a como lidar com a questão do tempo, a espaço, a materiais, a como trabalhar, a como jogar e brincar, a como fazer amor, a como ameaçar e a como se defender.

Quando há um conflito de valores, há também uma possibilidade real de se aprender. Por essa razão, os valores têm sido chamados de “as enzimas para qualquer processo de aprendizagem inovador.”

Pressupomos que auto-consciência e consciência cultural são inseparáveis. Abordamos a auto-consciência dando ênfase em que cada participante exercite seu relacionamento com a cultura baseado nos confrontos atuais de seus valores pessoais e percepções com os valores pessoais e percepções dos outros.

Portanto, o trabalho do participante será facilitado através de:

  • Material áudio-visual com o objetivo de ilustrar tanto a grande diversidade de culturas quanto seu aspecto universal.
  • Discussão de esteriótipos culturais.
  • Reflexão individual e em grupo que ajudem na exploração do entendimento cross-cultural.
  • Lidar com as diferenças – uma visão prática. Os pressupostos básicos em pontos de conflito serão examinados, bem como os valores culturais de cada indivíduo.

A palavra latina contexere é a raiz para a palavra “contexto”. Significa tecer junto. Em todas essas atividades, a ênfase será em tecermos juntos novos contextos (baseado na experiência individual e pessoal) que possam tornar mais clara a confusão cross-cultural.